< >

GRI EN16

Total de emissões diretas e indiretas de gases causadores de efeito estufa, por peso+ Índice remissivo GRI

GRI EN17

Outras emissões indiretas relevantes de gases causadores de efeito estufa, por peso+ Índice remissivo GRI

GRI EN20

NOx, SOx e outras emissões atmosféricas significativas, por tipo e peso+ Índice remissivo GRI

GRI EN29

Impactos ambientais significativos do transporte de produtos e outros bens e materiais utilizados nas operações da Organização, bem como do transporte dos trabalhadores+ Índice remissivo GRI

Emissões

As atividades realizadas pela Odebrecht Agroindustrial cooperam para minimizar as mudanças climáticas e seus impactos, uma vez que o etanol produzido representa uma energia mais limpa. Sua principal matéria-prima, a cana-de-açúcar, absorve dióxido de carbono (CO2), contribuindo para a neutralização das emissões de gases de efeito estufa (GEE).

A Empresa realizou inventário de emissões na safra 2012-2013, relativo a 2011-2012, norteado por metodologias desenvolvidas pelas principais entidades ambientais nacionais e internacionais, como a Environmental Protection Agency (EPA/USA). O cálculo de emissões foi feito por pesquisadores da Universidade de Campinas (Unicamp) e contemplou as nove Unidades Agroindustriais e os escritórios de São Paulo (Eldorado e Villa Lobos) e de Campinas. O cálculo identificou a emissão de 990.396 toneladas de CO2eq, o que inclui as emissões de CO2, N2O (óxido nitroso) e CH4 (metano). Um novo inventário com o mesmo escopo está sendo realizado em 2014 e deverá ser concluído no segundo semestre.

Outras emissões atmosféricas, em toneladas
Polos São Paulo Eldorado Santa Luzia Goiás Araguaia Taquari Total
Alcídia Conquista do Pontal Eldorado Santa Luzia Rio Claro Morro Vermelho Água Emendada Costa Rica Alto Taquari
NOX 33,28 347,21 182,58 602,10 108,99 594,59 181,94 554,99 259,63 2.865,31
Material particulado 60,53 235,61 134,17 532,31 228,08 338,06 137,35 238,71 89,92 1.994,74

Não são medidas as emissões de SOx, não exigidas pelos órgãos ambientais

Monitoramento de frotas

O Programa de Segurança Veicular abrange toda a frota da Empresa (veículos leves, ônibus de transporte de Integrantes, caminhões canavieiros, caminhões-comboio e caminhões de apoio, como caminhões-pipa e caminhões-oficina). Ao todo, são monitorados mais de 1,5 mil veículos.

Em operação desde a safra 2011-2012, o programa tem como objetivo aumentar a segurança no transporte a partir da instalação de equipamento de telemetria, que envia, por meio de satélite, informações relativas à velocidade, coordenadas de GPS, rotação, entre outros dados. Além da segurança, a iniciativa visa ainda à redução no consumo de combustível, o gerenciamento mais efetivo dos ativos, a utilização mais adequada dos equipamentos, a diminuição das emissões de carbono e a redução de custos. Conta ainda com o suporte dos Centros de Operações Estratégicas (COE), instalados nas nove Unidades. Todas as informações coletadas dos veículos são visualizadas em tempo real nos painéis instalados em cada Unidade. O sistema oferece, ainda, a possibilidade de comunicação imediata com os motoristas por meio do envio de alertas em caso de verificação de não conformidades.

Resultados obtidos pelo Programa de Segurança Veicular
2012-2013 2013-2014 Variação (%) Meta Safra 2014-2015
Acidentes automotivos
Veículo leve 1,63 1,32 -16,5% 1,00
Transporte de Integrantes 0,44 1,00 127% 0,70
Caminhão apoio 2,41 2,00 – 82,9% 1,40
Máquinas colheita 0,78 0,90 48,7% 0,70
Tratores e máquinas 0,58 0,70 20,7% 0,50
Transporte de cana 3,61 2,31 -36% 1,00
  • Veículo leve, Transporte de integrantes, Caminhão apoio e Transporte de Cana: ocorrências/ milhão de KM rodados.
  • Tratores e Máquinas e Máquinas colheita: ocorrências/100.000 horas.